sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Alimentação Escolar



Todo mundo sabe da importância de comer bem: traz benefícios para a saúde, ajuda a nos manter ativos para realizar as tarefas do dia a dia e melhora até o humor. Uma alimentação saudável é aquela que reúne todas as substâncias químicas de que o corpo precisa para funcionar corretamente. Requer muita diversidade de ingredientes em todas as refeições, com equilíbrio entre carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Na escola, um espaço ocupado por crianças e jovens, isso se torna ainda mais relevante.

SAUDÁVEIS E SABOROSOS:

Não é preciso impor sacrifícios para oferecer um cardápio nutritivo e atraente. A chave é apresentar diferentes grupos alimentares: 
Frutas: São fonte de vitaminas, potássio, fibras e bioflavonoides (pigmentos com propriedades antioxidantes). Maçã, manga, banana, mamão, uva e morango devem estar sempre presentes na hora do lanche. 
Cereais: Ricos em fibras, os cereais matinais e as tradicionais barrinhas ajudam a manter baixo o nível de colesterol ruim, melhoram o trânsito intestinal e garantem a sensação de saciedade por um longo tempo. 
Pães e torradas: Oferecem energia para o organismo por serem ricos em carboidratos, que dão a sensação de saciedade. É importante prestar atenção na quantidade de açúcar refinado entre os ingredientes. 
Sucos, água e água de coco: Hidratar-se é fundamental. A água deve ser bebida quase gelada para facilitar a absorção. Os sucos são ricos em minerais e eletrólitos, que prolongam a hidratação. E a água de coco, fonte de potássio, é reidratante. 
Leite e derivados: Contam com altas doses de cálcio, fundamental para os ossos. O iogurte natural traz ainda mais proteínas. O queijo branco tem mais cálcio que o leite. E nos queijos amarelos sobram as vitaminas A e D.

VILÕES DA ALIMENTAÇÃO:

Pobres em nutrientes e ricos em gordura, sódio e açúcar.
Salgadinhos e frituras: O principal problema dos salgadinhos de pacote são os altos índices de sódio, que podem provocar a elevação da pressão arterial. Já as frituras têm muita gordura, que colabora para o ganho de peso. 
Refrigerantes e sucos artificiais: Bebidas com alto teor de açúcar são pobres em fibras e micronutrientes. Contêm aditivos (como os corantes) e sódio. São considerados grandes vilões do sobrepeso e de novas cáries. 
Maionese, ketchup e mostarda: Além de muito calóricos, têm altos teores de gordura total e de gordura saturada, açúcar, sódio e aditivos químicos. Por não conter fibras nem micronutrientes (vitaminas e minerais), podem causar a elevação da pressão arterial. 
Biscoitos recheados: Como quase todos os alimentos desse grupo, têm muitas calorias, açúcar e gorduras - e poucas fibras e micronutrientes. A indústria vem tentando reduzir a taxa de gordura trans, um fator de risco para doenças do coração. 
Balas, pirulitos e chicletes: São alimentos com pouco ou nenhum valor nutricional e elevado teor de açúcar. Por isso, provocam ganho de peso e cáries. O excesso de açúcar eleva os níveis de colesterol e pode provocar problemas cardíacos. 
Chocolate: São alimentos com grande concentração de gordura, ácidos graxos saturados e sódio. Seu consumo excessivo pode causar problemas de saúde, como colesterol alto, excesso de peso e doenças cardiovasculares.

O QUE A ESCOLA PODE FAZER

- Esclarecer os pais sobre a importância da boa alimentação e estimulá-los a cuidar da rotina alimentar dos filhos. 
- Trabalhar para conscientizar docentes e funcionários sobre a necessidade de oferecer bons exemplos aos alunos. 
- Incluir a alimentação saudável como um conteúdo transversal permanente das áreas do conhecimento.


O QUE OS PAIS PODEM FAZER:

- Fazer combinados com o filho na hora de preparar o lanche de casa, inserindo sempre alimentos saudáveis ao invés de produtos industrializados.
- Checar os rótulos dos produtos antes de compra-los, para checar a composição de ingredientes.
- Conversar com o filho diariamente sobre a alimentação que recebe na escola.


(texto adaptado, retirado do site: http://educarparacrescer.abril.com.br/gestao-escolar/merenda-saudavel-618741.shtml, com acesso em 18/08/2016)

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Férias Escolares


Publicado por: Jussara Barros em Educação

Organizar atividades para os filhos durante o período de férias é a melhor forma de mantê-los alegres, sentindo que estão descansando e aproveitando o período sem aulas.
Uma boa opção é receber os amigos em casa. Para isso, o filho deve fazer contato com seus amigos prediletos e, caso haja necessidade, os pais combinam entre si.
A anfitriã deve se informar do tipo de alimentação que as crianças fazem, do que gostam de comer, se possuem alergias a algum alimento, se podem tomar gelado, etc.
Preparar as refeições com antecedência é uma boa opção para não ficar presa à cozinha no momento de receber os convidados, mas lembre-se: são amigos do seu filho e, portanto, deve recebê-los contando com o apoio da mãe.
Da mesma forma, dependendo da idade, a própria criança poderá programar as atividades. Como sugestão, deixamos as seguintes ideias:
- Locação de um filme para que as crianças relaxem um pouco após o almoço;
- Passeio num parque de diversões;
- Passeio ao zoológico;
- Passeio ao shopping com direito a cinema e pipoca;
- Banho de piscina num clube ou se tiverem em casa;
- Ida a uma sorveteria;
- Piquenique num lugar bem tranquilo e que não proporcione perigo;
- Jogos em casa, como xadrez, dama, trilha, dominó, uno, cara a cara, senha, leilão de artes, detetive, war, banco imobiliário, jogo da vida, elástico, amarelinha, bolinha de gude, bolinha de sabão, massinha caseira, oficina de criatividade com sucatas, dentre vários outros.
Além disso, se as crianças forem dormir na casa do amigo poderão fazer desfile de pijama, brincar de insônia e ver quem consegue ficar acordado até mais tarde, montar cabaninhas com lençol, acampando no meio da sala, brincar de cambalhota nos colchões espalhados pelo chão, etc.
Nas férias dá para fazer bastante coisa, mesmo estando dentro de casa. O importante é usar a criatividade e a imaginação para garantir a diversão da garotada.

Férias Escolares

Publicado por: Jussara Barros em Educação

Organizar atividades para os filhos durante o período de férias é a melhor forma de mantê-los alegres, sentindo que estão descansando e aproveitando o período sem aulas.
Uma boa opção é receber os amigos em casa. Para isso, o filho deve fazer contato com seus amigos prediletos e, caso haja necessidade, os pais combinam entre si.
A anfitriã deve se informar do tipo de alimentação que as crianças fazem, do que gostam de comer, se possuem alergias a algum alimento, se podem tomar gelado, etc.
Preparar as refeições com antecedência é uma boa opção para não ficar presa à cozinha no momento de receber os convidados, mas lembre-se: são amigos do seu filho e, portanto, deve recebê-los contando com o apoio da mãe.
Da mesma forma, dependendo da idade, a própria criança poderá programar as atividades. Como sugestão, deixamos as seguintes ideias:
- Locação de um filme para que as crianças relaxem um pouco após o almoço;
- Passeio num parque de diversões;
- Passeio ao zoológico;
- Passeio ao shopping com direito a cinema e pipoca;
- Banho de piscina num clube ou se tiverem em casa;
- Ida a uma sorveteria;
- Piquenique num lugar bem tranquilo e que não proporcione perigo;
- Jogos em casa, como xadrez, dama, trilha, dominó, uno, cara a cara, senha, leilão de artes, detetive, war, banco imobiliário, jogo da vida, elástico, amarelinha, bolinha de gude, bolinha de sabão, massinha caseira, oficina de criatividade com sucatas, dentre vários outros.
Além disso, se as crianças forem dormir na casa do amigo poderão fazer desfile de pijama, brincar de insônia e ver quem consegue ficar acordado até mais tarde, montar cabaninhas com lençol, acampando no meio da sala, brincar de cambalhota nos colchões espalhados pelo chão, etc.
Nas férias dá para fazer bastante coisa, mesmo estando dentro de casa. O importante é usar a criatividade e a imaginação para garantir a diversão da garotada.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA PARA A VIDA


Se existe algo ou alguém em que podemos depositar toda nossa confiança, é na nossa família. Ela nos mostra o que é certo, indica os melhores caminhos, e nos proporciona um amor verdadeiro e incondicional.
Uma família em harmonia, que se ama mutuamente, permanece unida por uma vida toda. E é também fonte de exemplo para todas as gerações, inspirando a formação de novas famílias.
É também no ambiente familiar que conhecemos nossos primeiros valores e recebemos as primeiras regras sociais. Aprendemos a perceber o mundo, damos início a nossa identidade e somos introduzidos no processo de socialização.  Por isso, é tão comum que nos comportemos como quem nos criou, como nossos pais e avós, trazendo traços da personalidade e atitudes muito semelhantes.
Não podemos esquecer que cada um tem um papel fundamental dentro de casa, onde existem direitos e deveres, e todos devem cumprir com suas obrigações. Aí entra o respeito mútuo, a consideração pelos mais velhos, as tarefas domésticas, os deveres diários. Há situações em que toda responsabilidade do dia a dia e os serviços de casa ficam por conta da mãe, os filhos culpam os pais por não poderem presenteá-los com aquilo que desejam ou os irmãos vivem se desentendendo. Nestes casos, a família permanece em desarmonia, sobrecarregando apenas um integrante, tornando instável a união do lar e a estrutura familiar.
Certas situações podem causar grandes frustações em uma vida. Muitos definem a família como sendo a “base de tudo”, uma expressão bastante utilizada para caracterizar o laço familiar que vai além do sangue, sendo também emocional e espiritual. Mas esta base pode se desintegrar, desgastando e se tornando prejudicial. Então, é preciso preservá-la sempre.
 
"Um bom relacionamento familiar é a principal arma de combate às drogas e aos problemas emocionais"
O psicanalista Evilázio Vieira ressalta que um bom relacionamento familiar é a principal arma de combate às drogas e aos problemas emocionais que acometem os adolescentes e os jovens. Ele explica que, a partir da adolescência, o indivíduo procura o ambiente fora de casa e os amigos para buscar aprovação e se identificar, e depois volta para o lar. Quando a família tem uma base sólida e oferece amor e atenção, ele não sente necessidade de buscar uma fuga da realidade nas ruas, ao lado dos amigos; ele usa o ambiente externo de forma saudável. Mas, quando sua vida é instável no âmbito familiar, ele busca suprir na rua aquilo que lhe falta dentro de casa; neste caso, é onde tem início a dependência química, a rebeldia e o comportamento violento.
Portanto, a família é algo único e insubstituível, extremamente necessário para a formação do ser humano. Sua ausência gera graves consequências. Pais e filhos precisam se manter unidos, dialogando diariamente. É preciso cuidá-la com carinho, dedicação e fé, para que sua estrutura se mantenha forte e  seus indivíduos não caiam no mundo dos vícios e das futilidades.
Texto retirado do endereço: <http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:http://www.a12.com/jovens-de-maria/noticias/detalhes/a-importancia-da-familia-para-a-vida&gws_rd=cr&ei=gUKFV4rINcOsjwOu2LLYCQ>